Monday, June 21, 2010

Inv(f)erno

Monday, June 21, 2010
"Nunca se é homem enquanto se não encontra alguma coisa
pela qual se estaria disposto a morrer." Jean-Paul Sartre

"Jean-Paul Sartre nasceu no dia 21 de junho de 1905 e enquanto viveu foi um dos filósofos mais populares do mundo. O existencialismo, filosofia que ele se tornou o porta-voz, emergiu como o pensamento que melhor preencheu o vazio para estudantes, intelectuais e revolucionários de uma Europa em ruínas logo após a Segunda Guerra Mundial.

A incessante contestação da autoridade, a revolta contra os valores burgueses e a busca pela liberdade última do indivíduo estão entre as principais características do existencialismo defendido por Sartre. Essas ideias foram adotadas como uma estimulante “filosofia da ação” por jovens ao redor do planeta nas décadas de 50 e 60.

Em 1964 ganhou o Prêmio Nobel de Literatura - mas o recusou, porque não acreditava em se submeter a juízes e seus julgamentos, mesmo quando premiado. Ficou ao lado dos estudantes em maio de 1968, quando os jovens, decididos a viver de acordo com seus próprios valores, se revoltaram em Paris.

Segundo ele "nenhum escritor pode ser transformado em instituição". Morreu em 15 de abril de 1980 e seu funeral foi acompanhado por mais de 50 000 pessoas. Está enterrado mesmo túmulo onde jaz Simone de Beauvoir".(texto adaptado)

A biografia é extensa e rica, mas vou ficar por aqui - sem esquecer que o romance Sartre & Simone é digno e merecedor de posts "sem fim" afinal, amor assim não pode e nem deve ser relevado. Tem que ser lembrado.


"Frio não existe: VOCÊ é que está usando a roupa errada."

O inv(f)erno também se aproxima. "O inferno são os outros" já dizia Jean-Paul Sartre em "Entre quatro paredes" que há muito sabia o que dizia, independente de sua filosofia. Eu assino embaixo, com certeza.

Começa hoje o inverno - e eu gosto muito. Já disse por aqui repetidas vezes o quanto aprecio o frio e todos os seus componentes atrativos e reluzentes, calientes...

O tempo frio me faz sentir bem, aconchegada, agasalhada, protegida. Quem me dera poder me sentir sempre assim.

Eu sou fanzoca do inverno, do amor e de Jean-Paul & Simone de Beauvoir: analogia perfeita!


beijos e boa semana a todos,


Tina

11 comments:

  1. E de analogias a gente se completa.
    E qual será que a surpresa para nós neste inverno ?
    Espero que boa para que possa filosofar mais.
    Beijos

    ReplyDelete
  2. AHHHHHHHHHHH mas eu não gosto de frio não!!!
    Mas de todo o resto do post ADORO!!!
    Beijos saltitantes

    ReplyDelete
  3. Bom dia linda, nada como começar o inverno...Confesso não sou fã dele, mas, ainda bem que devez enquando aparece um solsinho para me aquecer(rs), adorei seu post. Uma linda semana para você.

    ReplyDelete
  4. Tina, tudo bem?

    Confesso que depois de tantos invernos já nem sei como é o verao, rs.

    Bjao

    ReplyDelete
  5. conta da história de amor deles, fiquei curiosa..amo estórias de amor.

    o frio tá castigando..ou será q estou usando as roupas erradas? hahaha

    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_................

    ReplyDelete
  6. Frio é comigo mesmo (não por acaso vim morar na serra...). Nada que um bom casaco não resolva!

    Um beijão.

    ReplyDelete
  7. Ih! não gosto do frio também não.
    Aliás, o inverno só me é útil, mas gostar, gosto mesmo é do calor, do verãozão.
    O frio me encolhe ainda mais, fico menor que sou.
    Agora o amor deles dois, este sim, era quente.
    Beijos querida.

    ReplyDelete
  8. ah, eu tb. sou fã do sartre e da simone... cerimonia do adeus me sufoca até hoje!
    beijo, Tina!
    saudade docê!

    ReplyDelete
  9. Amar cada um ama a seu jeito! Ou se acostuma com o jeito, vai saber! Quando Sartre e Simone estiveram no Brasil em 1960, Sartre se apaixonou pela pernambucana Cristina Tavares e como não era casado oficialmente com Simone, queria levar a moça para Paris e se casar com ela lá. Em contrapartida, este fato foi contado por Simone em seu livro "Cartas a Nelson Algren" com quem manteve um longo romance. Ainda bem que a obra deixada por ambos foi independente da vida particular, porque Sartre bebia muito e depois tomava gardenal para dormir, quando acordava, ziquezagueava o dia todo segurando pelas paredes.
    Sobre essa pernambucana, foi brava combatente do regime militar e única mulher até hoje a se eleger deputada em Pernambuco. Quando ela soube que Sartre tinha decidido nao levá-la para Paris, surtou! E Simone para acalmá-la a entupiu com o Gardenal que Sartre tomava. Ainda bem que ela não foi para Paris! "O inferno são os outros"
    Odeio inverno!! Blurrrrrrrrr!! Odeio vestir muita roupa e sair como robozinho!! Mas lógico, gosto de tudo que vem agregado à estação: vinhos, comidinhas, os esportes...
    Bom fim de semana! Beijus,

    ReplyDelete
  10. OI Tina querida,
    Ofrio aconchegane é bom ne? Essa é a parte boa do inverno. Aqui é mais facil sair na rua no inverno, jana terra do Big Ben, complicado para uma friorenta feito eu.
    Sartre dizia que os escritores nao devem se tornar instiuiçoes, mas ísso é o que mais tem ne? Viram "igrejas" alguns deles. Chato isso, mas acontce. As pessoas se apoiam nesses santos para tudo. Voce esta fazendo um post, mas e um cara que se diga "existencialista" vai estar beijando a mao do Pddre Sartre ne? Eta ser humano, realmente, o inferno sao os outro... eu sou otima, heheheheh, buaaaa, snnifsnif. Que nada sei o quanto sou dificil tb.
    Beijos querida e fique na mais santa paz no final de semana,
    Cam

    ReplyDelete
  11. Oi Tina!!!
    Sempre que penso em você acabo me lembrando do querido Josué Montello.
    Que bom encontrar Sartre e Simone por aqui.
    Sartre me acompanhou por toda a mocidade...
    Sobre "Entre Quatro Paredes", assisti essa peça no Teatro Aliança Francesa quando morava no Rio. (quanto tempo...........rsrsrsrs)
    Um graaaaaaaaaannnnnnnnnnnde abraço!

    ReplyDelete

Obrigada pela sua visita!

 
luzdeluma st © Code is Pocket