Sunday, July 26, 2009

Mundo Novo

Sunday, July 26, 2009 22

" Experiência não é o que acontece ao homem;
Experiência é o que o HOMEM faz com o que acontece com ele..."


"Em 26 de julho de 1894 nascia na cidade de Goldaming, na Inglaterra, um dos maiores escritores que o mundo já viu. Conhecido pelo seu conhecimento e erudição admiráveis, Aldous Huxley foi romancista, ensaísta filosófico e literário, poeta, teatrólogo e responsável por algumas das melhores obras da literatura de ficção. Era filho de Leonard Huxley , poeta e escritor de biografias.

Vindo de uma família de cientistas, seu avô Thomas Huxley era zoólogo e médico e seu irmão Julian Huxley se tornou um renomado biólogo. Aldous Huxley começou a trabalhar com pesquisa científica até que uma doença nos olhos o acometeu aos dezesseis anos, dois anos após a morte de sua mãe, e o deixou totalmente cego por dezoito meses. Neste período Huxley aprendeu braile e deu continuidade aos estudos passando pelo Eton College, depois no Balliol.

Impedido de prosseguir na carreira de cientista, porém tendo recuperado parcialmente a visão, Huxley começa a se dedicar a literatura e acaba se formando em Oxford, em Língua Inglesa em 1915.

A obra-prima de Huxley, "Brave New World" (Admirável Mundo Novo), foi escrita durante quatro meses no ano de 1931. Os temas nela abordados remontam grande parte de suas preocupações ideológicas como a liberdade individual em detrimento ao autoritarismo do Estado.

No ano de 1937 Aldous Huxley mudou-se para Los Angeles, e em 1938, no auge da sua carreira, chegou a Hollywood, como um de seus mais bem remunerados roteiristas. Nessa fase, escreveu romances como "Também o cisne morre" (1939), "O Tempo pode parar" (1944), "O macaco e a essência" (1948).

O cinema para Huxley foi uma aventura tão fascinante quanto suas descobertas e experiências com a mescalina, narradas em "As portas da percepção" (The Doors of Perception), de 1954, livro que influenciou em muito a cultura hippie que florescia, dando nome por exemplo a banda The Doors, pois tais relatos com a droga indigena se assemelham em muito com o LSD que estava em ascensão. Dois anos depois, viúvo, casou-se novamente e publicou "Entre o céu e o inferno".

Huxley viajou ainda pela América Central e em 1958 visitou o Brasil, tendo conhecido os índios do Xingu e as favelas do Rio de Janeiro. Em 1959, foi agraciado pela Academia Americana de Artes e Letras com um prêmio por seus romances. Tal premiação era concedida a cada cinco anos e havia sido entregue anteriormente a Ernest Hemingway, Thomas Mann e Theodore Dreiser.

Huxley permaneceu quase cego por toda a sua vida. Sua esposa, Maria Huxley, faleceu em 1955. Um ano mais tarde, Huxley casou-se com Laura Archera.



Aldous Huxley morreu em 22 de Novembro de 1963 na sua pequena casa de Los Angeles. Morreu no mesmo dia em que assassinaram John Fitzerald Kennedy - JKF. Triste coincidência ( se é que existe tal coisa...)

Huxley produziu um total de 47 livros ao longo de sua vida. O crítico britânico Anthony Burgess uma vez afirmou que Huxley fora o pioneiro do "romance cerebral". No entanto, outras correntes de críticos classificaram Huxley como um ensaísta, ao invés de romancista, pois suas obras eram conduzidas mais apoiadas sobre suas idéias do que o desenrolar de personagens ou contextos de histórias."(texto traduzido e adaptado da net)


A frase lá acima é dele. E eu assino embaixo. Aldous Huxley - foi um grande visionário na minha opinião.


Viver é experenciar e por que não - Viver a cada dia, um "admirável mundo novo." ?



beijos e boa semana a todos,

Tina

Monday, July 20, 2009

Lua e amigos

Monday, July 20, 2009 15

"Para conhecermos os amigos é necessário passar
pelo sucesso e pela desgraça.
No sucesso, verificamos a quantidade e,
na desgraça, a qualidade."
Confúcio

"A lua sempre foi companheira do homem desde os tempos imemoriais. Assim, diversas foram as observações, percepções, interpretações, etc., que, ao longo de sua história, o homem elaborou sobre a lua, desde suas primeiras representações míticas, até talvez o maior ato de ousadia e arrojo de sua mais complexa civilização tecnocientífica, a chegada do homem à lua, no dia 20 de julho de 1969, há exatos 40 anos. " O texto é longo e interessante, veja aqui.

Eu não poderia ter assunto melhor nesse dia do que unir LUA & AMIGOS afinal a "nossa" Lua Azul me trouxe muitos novos amigos. São amigos - não conhecidos - mas que participam da vida como se ao lado estivessem. E comigo dividem alegrias, dúvidas, cantam verso e prosa, ajudam a superar a tristeza e os momentos difíceis. Estão sempre por aqui.

Eu não procuro quantidade, a qualidade me basta. E esta eu tenho. É o que vale. De verdade.

Há 40 anos o homem "pousou " na lua e milhões testemunharam, mas não existe vida na lua. (até provarem o contrário, naturalmente...)

Há 4 anos e alguns meses o Blue Moon "pousou" aqui. Existe vida aqui . Existem amigos.

Bom isso, muito bom. A lua pode não ser azul, mas o carinho é.


E vamos celebrar a "Semana / Dia do Amigo", combinado?


beijos e boa semana a todos amigos,


Tina

Monday, July 13, 2009

Divagando...

Monday, July 13, 2009 22

"Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
Não noutra alma.
Só em Deus — ou fora do mundo.
As almas são incomunicáveis.

Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.

Porque os corpos se entendem, mas as almas não."


Perfeito verso esse de Manuel Bandeira, que do nada "caiu" em minhas mãos hoje, veio ao acaso que sempre tudo completa. É a vida. (ou) seria parceria imperfeita ? Vivo - nem preciso parafrasear o autor - "mas as almas, sim"...

Alma gêmea existe? Vem de outras vidas ? Temos um "destino", "missão", "tempo", "karma" (ou como queiram denominar) a cumprir ao lado "dele" (a) ?

E se você perder a chance, se deixar a "sua metade" escapar, seguir em frente, e... ? Viver feliz para sempre ???

É ... pode ser fácil assim. Pense.

Haja pergunta nesse post, haja dúvida... Viver é isso.


beijos e boa semana a todos,


Tina

Monday, July 06, 2009

Amartano

Monday, July 06, 2009 12

"A nossa falta de conhecimento é a razão pela qual temos a ilusão do pecado; ou, quando a evolução tiver tido tempo suficiente para nos ajudar a progredir, a ilusão do pecado desaparecerá." (fonte)

"Amartano" (pecado em grego - começa com AMAR...), significa privação, ausência; e é no momento em que negamos que ele existe, que iniciamos nosso inferno. E ele pode ser infinito. E finito também. Pecado existe ?

Não é a verdade ou a realidade que nos martiriza; é a nossa atitude de negação a elas, já que estão profundamente cravadas em nossa mente, não nos deixando de sobra nenhum espaço. E haja procura, leitura, pesquisa, tempo, querer, resolver. Sem pecado.

Temos um medo (aparente) de ver a nossa própria realidade (?) devido à aparente confusão que realizamos entre a verdade e a fantasia e aquilo que geralmente chamamos de real é algo que forjamos e, consequentemente, não é ela mesma. E talvez jamais saibamos a diferença.

Pecado é "individual" - não faz parte da consciência coletiva. Pecado é coisa sua, coisa minha. Pecado não é coisa "nossa". Não mesmo. Existe remissão, perdão. Mas não deixa de ser pecado.

É pecado. Foi. Tem volta? Tem perdão ?

Não sei, mas existe alternativa, com certeza. Ela reside no instante em que começarmos a aceitar, a ver o que é o "nosso pecado" - pois nesse exato momento voltaremos a uma relativa sanidade. Ou não.

E você, o que acha ?

Viajei por aqui hoje. Eu preciso voltar a postar poesia, verso, prosa. Não filosofar. Sério mesmo.

(ou não?) rs

beijos e boa semana a todos.

Tina
 
luzdeluma st © Code is Pocket