Wednesday, September 27, 2006

Dona JÚ

Wednesday, September 27, 2006

E eis que passo na frente da TV ontem , e vejo seguinte depoimento:


- Dona Judith (ou - como ela se denomina agora) -, uma "senhorinha de 76 anos" que escolheu VIVER. Isso mesmo: há 5 anos ela resolveu começar a viver.

Conta que foi casada durante 51 anos (isso é tempo!) com um marido extremamente bom, (obra do destino) e ciumento - ela não podia ir visitar nem a vizinha , ele ia lá chamá-la depois de 10 minutos , e ela voltava para casa, - e ela disse aceitar isso em nome da boa convivência, fazia o que fosse necessário para evitar uma briga, enfim: ela escolheu SER FELIZ ao invés de TER RAZÃO! (filosofia de relacionamento - cada um escolhe a sua).

Mas o marido dela se foi, há 5 anos atrás... e como diz o ditado, viúvo é quem morre, a Dona Jú - depois do tempo de luto - simplesmente resolveu VIVER, quando todos os filhos, parentes e conhecidos achavam que ela ia se deixar morrer.

Nada disso: ela foi à luta, (nada material), ao contrário, foi à luta em busca dos sonhos, de todas as grandes e pequenas coisas que ela havia "deixado de lado" enquanto casada, enquanto dependente, enquanto viveu o "você-é-minha-mulher-e-aqui-mando-eu" no século passado.

Essa senhorinha, na época com 71 anos, reagiu: mudou o cabelo, fez tatuagem no colo e nos braços, colocou piercing na sombrancelha (e na lingua, acreditem!), conheceu motoqueiros e andou de moto, foi para as "baladas da idade dela", mandou ver, arrasou, viveu, bebeu, curtiu tudo, todas... E está muito feliz. Diz que só vai morrer quando o cartão dela vencer.

Embora eu pessoalmente não concorde com algumas das escolhas dela (piercing? tatuagem? entre outras - não concordo, mas respeito) eu consegui ver nela um exemplo de realização: vi alguém que se reprimiu durante uma vida inteira praticamente, mas que NUNCA desistiu: quando a chance chegou, (outra obra do destino) ela foi atrás da vida, do sonho, foi viver e fazer o sempre quiz. Isso vale tudo! Vale mesmo.

Esta história não é criação minha, garanto. Dona Jú existe, está aí, e nos mostra que não devemos desistir jamais: sempre é tempo, sempre é hora, sempre.

Exemplos, pessoas, vidas, casos que nos são mostrados... ao acaso.

E como hoje é Dia do Idoso, um beijo para Dona Jú.

beijos,

Tina

22 comments:

  1. Legal heim Tina, um graaande exemplo mesmo, nunca é tarde para mudanças de rota. Pensemos nisso.

    ReplyDelete
  2. Nunca é tarde, né?
    Adorei.
    beijos

    ReplyDelete
  3. oi tina....
    pô, a dona ju ficou doidona hein...
    imagina s eminha vó faz tatoo???
    hehehe
    cada uma hein..
    mas isso dela viver e curtir, eu acho o máximo...
    boa lembrança ao dia do idoso..
    beijosssssssss

    ReplyDelete
  4. É uma história de vida,hem TINA.
    Pra ser seguida.
    Beijos!

    ReplyDelete
  5. Mais uma pequena grande maravilha que nos ofereces, Tina!
    Há tempos, no GNT, vi a presentação da história de uma «senhora» brasileira que percorreu o Brasil durante cinco (!) anos... de bicicleta! Que gente espantosa! Que exemplos!
    Quanto à opção entre ser feliz e ter razão, reconheço que por vezes sigo o caminho «errado»...
    Um beijo!

    ReplyDelete
  6. Anonymous8:41 PM

    Muito boa!

    bjka

    ReplyDelete
  7. Tina! obrigada, viu?! agora eu tô si achando mais ainda...rs!
    eu tenho optado por momentos de ser feliz e momentos de ter razão.
    tem hora que eu preciso ter razão...rs!
    bjs!

    ReplyDelete
  8. Quem não se transforma não vive! Já morreu. E a dona Ju tá vivinha... inda bem! Vai nessa, Jujuzinha!!!

    ReplyDelete
  9. E eu aqui com 27 achando que tudo tava perdido...

    Beijos

    ReplyDelete
  10. Tina, esta senhora está com tudo! Quero chegar na idade dela com todo este pique. Nunca é tarde para mudarmos a direção de nossas vidas!

    ReplyDelete
  11. beijo para D. Jú e para ti amiga!
    Que lição de vida que essa senhora nós dá! Gostaria muito de conhecer pessoas assim que não se limitam a sobreviver e a ver o tempo passar, mas que vivem e experimentam o que lhes vai na alma procurando a felicidade.
    Parabens e obrigada por partilhar essa bela história e lembrar as pessoas mais velhas que cada vez mais se sentem e estão esquecidas.

    ReplyDelete
  12. Viva a vida! Aos 20, 40 ou 70.... sempre!!!
    Abçs,
    Ás

    ReplyDelete
  13. acho que ela nem precisava ter esperando tanto...mas ja que esperou que aproveite agora

    ReplyDelete
  14. Viva Dona Jú!!! Viva toda mulher que vai a luta com qualquer idade!!!
    Que história fantástica, adorei querida!
    Lindo dia para todas as pessoas que não desistem nunca!!!
    Procê flor, meu carinho
    beijosssssssssss

    ReplyDelete
  15. Adoreeeeei. Palmas para dona Ju!!!!

    beijos, querida

    MM

    ReplyDelete
  16. Adoreeeeei. Palmas para dona Ju!!!!

    beijos, querida

    MM

    ReplyDelete
  17. Tina, nunca é tarde mesmo.
    E eu, um blog novo nestas alturas, rs!
    te espero. Bj,

    ReplyDelete
  18. Tina:
    Incrível a história e muito interessante. Só espero que chegue à idade dela e, quando isso acontecer, ter a mesma disposição, o que não significa que vá colocar piercing e me transformar em motoqueiro - nada contra os dois.

    ReplyDelete
  19. Essa Dona Ju é bem uma pessoa na qual eu quero me transformar...rs!!!!!!!!
    Adorei a história dela!
    Bjos...muitas alegrias.

    ReplyDelete
  20. tina, eu conheço meia dúzia de dona JÚ.
    Minha avó é uma.
    Graças a Deus não colocou piercing nem tatoo, hahaha, mas vive como quer.
    E eu não me deixo ser como a dona Jù de antes, sou a nova dona JU.
    Beijoca!

    ReplyDelete
  21. A minha bisavó fez a mesma coisa com 85 anos, mas morreu em seguida.
    Beijinho Kristalino !

    ReplyDelete
  22. Que máximooooooooooo! Inclusive a tatoo, eu acho.
    Muito legal a dona Jú e seu post, minha querida...
    Beijo grande

    ReplyDelete

Obrigada pela sua visita!

 
luzdeluma st © Code is Pocket