Wednesday, August 06, 2008

Pela metade

Wednesday, August 06, 2008
"Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido ? Uma só.

Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação. O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de "fácil").

Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em "acertar", tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...

Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão..

Às vezes dá vontade de fazer tudo "errado" ? deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.

Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: "Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora"...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do seriado "House", uma caixa de trufas bem macias e o Clive Owen embrulhado pra presente ? Não, não precisa ser necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago." (texto de Leila Ferreira)


~*~*~*~*~*

Eu assino embaixo. Tem coisa pior que ser, viver ou sentir pela metade ? Sem chance.

beijos e boa 4ª feira a todos.

Tina

23 comments:

  1. camille8:36 PM

    Oi Tina,
    Eu tambem assino embaixo e vivo os mesmos questionamentos. A gente tem amarras invisiveis e é bom cortar com elas por que a vida é curta. Como dizia o Borges, se eu pudesse... mas agora estou com 80 e tantos, doente e morrendo."
    Mas nos estamos vivinhas e entao vamos ao pote de sorvete e a tudo o mais!
    Beijos e caia de boca Tina!
    Cam

    ReplyDelete
  2. Tina

    Quando leio frases de auto ajuda, tipo: va devagar, pisa no freio, nao consigo, por enquanto, tenho muitas responsabilidades em cima de mim.

    Mas dentro do que posso, tento me descontrair.

    Muito bom seu post, Tina.

    Beijinhos

    ReplyDelete
  3. adoreeeeeeeeeeei, eu também fico puuuta quando a sobremesa vem pequena demais e às vezes tenho vontade de fazer tudo errado, rs*

    te adoro, belezura!

    beijocas

    MM.

    >>> obrigada por ter pousado na polêmica do canteiro

    ReplyDelete
  4. olá minha amiga
    tudo bem com vc
    muito verdade o q vc disse gostei bem desse texto acho bem interessante.
    tenha uma terça maravilhosa
    beijos

    ReplyDelete
  5. amiga, por isso que tudo meio é intenso. Na fase do vai ou racha...kkk
    Esse negócio de meio isso, meio aquilo...kk
    bjs e dias felizes
    http://www.eueorenascerdascinzas.blogspot.com/

    ReplyDelete
  6. Menina, esse texto caiu como uma luva. É isso mesmo. Vou pesquisar na Internet.Nossa mãe, como eu me identifiquei. Estou na fase politicamente incorreta e estou ADORANDO.
    Beijocas

    ReplyDelete
  7. ADOREI!!

    Quem vive pela metade,não o faz em sua plenitude,TINA.
    Show este texto.

    Beijos!!

    ReplyDelete
  8. Faltou acrescentar que esse mesmo restaurante sofisticado vai colocar meia bolinha de sorvete e cobrar o equivalente a umas dez bolas inteiras!!!!!
    Com sua licença, vou assinar embaixo também. Viver pela metade não dá!
    Um beijão.

    ReplyDelete
  9. Ai que eu amei este texto!!
    Concordo plenamente, Tina.
    Beijões.

    ReplyDelete
  10. Maravilhoso !!!!
    Vc acertou em cheio...essa preocupação excessiva em acertar acaba nos remetendo ao erro. Penso que não vale viver aparentando estar certo e por dentro um grito de pedido de liberdade. A vida passa muito rápido...

    Me fez bem ler este post.
    Mil beijinhos Tina.

    ReplyDelete
  11. pois é, nada de cobranças..fazer só o q dá prazer...
    "ando devagar pq já tive pressa, levo esse sorriso, pq já chorei demais..."


    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_.................

    ReplyDelete
  12. Mto bom o texto, realmente nos lê por completo pq esse negócio de metade....

    E eu só troco o House por Smallville pq ai tenho o namorado no enlace!!!
    Bjokas

    ReplyDelete
  13. Eu só queria ser duas, para fazer tudo em dobro! :=))) Beijus

    ReplyDelete
  14. Assino embaixo e o negócio é viver e deixar viver...a vida não é uma correria ? Então, fazer e depois correr atras do prejuízo, isto se houver...ehehe
    Abraços

    ReplyDelete
  15. Assino embaixo também. Uma vez ouvi que viver com medo é viver pela metade!

    ReplyDelete
  16. Maravilhosamente verdadeiro o texto.
    Meu Deus, como ele se encaixa em muitas mulheres.
    Felizmente posso dizer que sofro alguma coisa, mas estou ainda tendo muitos prazeres por inteiro.
    Beijos linda.

    ReplyDelete
  17. Acho que não é apenas a sobremesa que vem em dose microscópica em restaurantes finos. Tuuuuudo vem neste formato!
    É só ver os pratos que os famosos cozinheiros fazem na Tv para constatarmos o que estou dizendo. Toda vez me pergunto: "Céus! como vou matar a fome com um naquinho de amostra igual a este!!!??????"
    Adorei sua prosa!
    beijo pra você.

    ReplyDelete
  18. denise rangel3:44 PM

    Pois é, eu assino também, mas já sabem, assumir as gordurinhas (banha, mesmo)não funciona para quem quer namorado ou maridão. Eles não perdoam. Faço tudo isso e não tô nem aí pro azar. Mas a consequência é: nenhum beijo, muito menos de garotinho. Fazer o que se quer e não malhar, não é para quem quer, é para quem pode, hehe.
    beijo, menina

    ReplyDelete
  19. Não adianta ter liberdade se não tem responsabilidade. Tudo me é lícito, mas nem tudo devo. Saber conjugar os dois é que é a boa parte da história. SAber ser permitir se agir sem se preocupar com nada disso, de vez em quando, e depois não se culpar é que tb é outra boa parte da história.

    Beijos

    ReplyDelete
  20. E assim vamos nos policiando das coisas boas da vida, quero tudo por inteiro, metade nunca mais...

    Depois de um susto estou de volta Tinavózinha, mas bem viu?

    dias lindos amigamada
    beijos de loviú

    ReplyDelete
  21. A moça está certíssima. A gente fica se tolhendo em nome de sei lá o quê. quando é saúde, até entendo. Mas temer "o que os outros vão falar"??? Bom é aquele que está pagando e andando para essa vida de meias-porções e vive autenticamente. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

    ReplyDelete
  22. Fico revoltada na melhor parte que é a sobremesa vir bem minuscula. è de chorar.
    Big Beijos

    ReplyDelete
  23. Your Soul10:25 AM

    Como eu não ligo pra doces, tudo bem, mas o resto é de lascar mesmo, e adoooooooooooooooro House....rs
    bjs

    ReplyDelete

Obrigada pela sua visita!

 
luzdeluma st © Code is Pocket