Monday, November 17, 2008

Redação

Monday, November 17, 2008

Imperdível para amantes da língua portuguesa, e claro, também para Professores. Isso é o que eu chamo de jeito mágico de juntar palavras simples para formar belas frases. E dizer.


"REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO
DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES."


Tema: "Como vencer a pobreza e a desigualdade"
Por Clarice Zeitel Vianna Silva
UFRJ - Rio de Janeiro - RJ

"PÁTRIA MADRASTA VIL"

"Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência... Exagero de escassez...

Contraditórios?? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.

Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.

O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições. Há quem diga que "dos filhos deste solo és mãe gentil" mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe.

Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil. A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira'. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.

E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro PACote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade.

Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra... Sem nenhuma contradição!

É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem! A mudança que nada muda é só mais uma contradição.

Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão. Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura.

As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)... Mas estão elas preparadas para isso? Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil. Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga?

E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona? Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos... Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil?

Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente... Ou como bicho? "


Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel, tem apenas 26 anos, é estudante que está terminando a faculdade de direito da UFRJ e em julho concorreu com outros 50 mil estudantes universitários. Ela acaba de voltar de Paris, onde recebeu um prêmio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) por uma redação sobre "Como vencer a pobreza e a desigualdade".

A redação de Clarice intitulada "Pátria Madrasta Vil" foi incluída num livro, com outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da Unesco.

Esse texto eu não poderia deixar de repartir, recebi por e-mail e não tenho mais referências. Mas é bonito e bem escrito. É verdadeiro.


beijos e boa semana a todos,

Tina

18 comments:

  1. Sempre que leio algo nesse sentido fico me perguntando: quando será diferente do que é? Quando a ideologia será o mote de uma nação? Quando todas as pessoas passarão a gritar mais alto por si mesma? Perguntas e mais perguntas... Isso sempre me deixa assim, com cara de interrogação diante da ausência da resposta.
    Beijos meus e desejos de uma linda semana pra ti...

    ReplyDelete
  2. Tina, já conhecia essa carta maravilhosa. A moça merece elogios.
    Beijocas minha querida.

    ReplyDelete
  3. Tina

    Escreve muito bem, duro que nao vejo luz no final do tunel.

    Beijinhos e boa semana.

    ReplyDelete
  4. Babei aqui,TINA. Não sabia desta redação,muito menos da conquista da moça.
    Um tapa na cara de todos,sem duvida.

    Beijos!

    ReplyDelete
  5. Bonito texto, e inócuo, infelizmente, né?
    Um beijo e uma ótima semana pra ti

    ReplyDelete
  6. Muito bacana o texto. Realista, totalmente coerente com a realidade, infelizmente. Gostei muito do posicionamento dela e de como ela escreve. Demais!
    Não acho que tudo isso tenha uma solução. Sou totalmente pessimista nesse sentido. Mas, quem sabe, né?!

    Abraço Tina!

    ReplyDelete
  7. Tem meme pra você lá no blog!!
    :)

    ReplyDelete
  8. Uauuuuuuuuuu, isso q é redação.. merecida a premiação.
    Big Beijos

    ReplyDelete
  9. ola, Tina!

    Ja conhecia o texto...muito bem feito mesmo...assim como as fotos da lua do seu blog...lindas

    Um beijo

    ReplyDelete
  10. Na verdade, a língua portuguesa é super maravilhosa.
    E quando se sabe o valor da palavra, a sua essência, e capacidade de lhe dar significado especial, ainda mais bonita fica.

    ReplyDelete
  11. Essa redação eu já conhecia e mesmo que a leia mil vezes, mil vezes ficarei assim óooooo, boquiaberta, muito boa!

    Nada como saber escrever as idéias.

    lindo dia Tinavózinha querida
    beijos de loviú

    ReplyDelete
  12. Estamos no Brasil da mentira em que se enganando tudo dá pra conquistar eleições intoxicadas pela força do poder corrompído em sua raiz, em que não saber de nada torna-se expediente de sabedoria e genialidade política. Como é que pode um Brasil assim querer ser o que não consegue ser?
    Cadinho RoCo

    ReplyDelete
  13. Grace Olsson4:44 AM

    tina, ja li essa carta.Belo texto para um país que agoniza faz tempo.Haja saco ...
    querida, vim te visitar por que estava com saudades.
    OLha, caso vc venha a Londres, podes vir aà Suécia.
    Beijos e dais felizes

    ReplyDelete
  14. me lembra com saudades...quando era orgulho terminar meu hino com .....Pátria amada Brasil.
    O que fizeram daqui????
    Maurizio

    ReplyDelete
  15. Menina, o texto é um show mesmo! Muito bom mesmo!
    beijos

    ReplyDelete
  16. Maravilhada com a clareza e a lucides dessa jovem. É de pessoas assim que este país precisa para sair esse atoleiro que está desde sempre.

    Obrigada por compartilhar esse texto... E cadê a mídia para divulgar, hein!?

    Beijosssss

    ReplyDelete
  17. Olá!!
    Sou Professora de Língua Portuguesa e estou impressionada com a clareza, beleza, lucidez e desenvoltura deste belo texto. Mereceu, com certeza o prêmio. Uma delícia ler um texto tão bem escrito quanto esse.

    ReplyDelete
  18. Agora cabe a Clarice cuidar bem de seu escrito, para que nenhum político se aproprie do mesmo e use como seu discurso nas próximas eleições e consiga enganar mais gente ainda...Um abraço,Armando -fetichedecinefilo.blogspot.com (posto tambem em lygiaprudente.blogspot.com)

    ReplyDelete

Obrigada pela sua visita!

 
luzdeluma st © Code is Pocket