Wednesday, April 02, 2008

O escritor de histórias

Wednesday, April 02, 2008

Hans Christian Andersen nasceu no dia 2 de abril de 1805 na cidade de Odense na Dinamarca, em uma família muito pobre - a família toda vivia num único quarto. Era filho de um sapateiro e de uma lavadeira. Foi incentivado pelo pai a desenvolver sua criatividade - este inclusive deixou-o aprender a ler (pouco comum na época) e além de contar-lhe histórias fez também para ele um teatrinho de marionetes.

Hans apresentava no seu teatro de marionetes peças clássicas, tendo chegado a memorizar muitas peças de Shakespeare, que encenava com seus brinquedos. Em 1816 seu pai morreu e ele foi obrigado a abandonar a escola.

Por ter nascido e vivido numa época em que a Dinamarca se ancorava em valores ancestrais e de certa forma graças à sua infância pobre, Andersen teve a chance de conhecer os contrastes da sua sociedade, o que certamente influenciou bastante as histórias infantis e adultas que viria a escrever.

"Entre os contos de Andersen, destacam-se: O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, O Sapatinho Vermelho, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei e A Princesa e a Ervilha, dentre outros.

Em 1828, foi admitido na Universidade de Copenhague e em 1835 alcançou reconhecimento internacional quando lançou o romance ''O Improvisador'', na sequência de viagens que o tinham levado a Roma.

Apesar de ter escrito diversos romances adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos de fadas que tornaram Hans Christian Andersen famoso, principalmente pelo fato de que, até então, eram muito raros os livros voltados especificamente para crianças.

Ele foi, segundo estudiosos, a "primeira voz autenticamente romântica a contar histórias para as crianças" e buscava sempre passar padrões de comportamento que deveriam ser adotados pela nova sociedade que se organizava, inclusive apontando os confrontos entre "poderosos" e "desprotegidos", "fortes" e "fracos", "exploradores" e "explorados". Ele também pretendia demonstrar a idéia de que todos os homens deveriam ter direitos iguais.

Entre 1835 e 1842, Andersen lançou seis volumes de ''Contos'', livros com histórias infantis traduzidos para diversos idiomas. Ele continuou escrevendo seus contos infantis até 1872, chegando a 156 histórias. Andersen morreu aos 70 anos em 5 de agosto de 1875." (Texto adaptado - Wikipedia)

E quem de nós já não ouviu ou contou uma de suas histórias? Andersen deixou sua marca no imaginário infantil, nos doces momentos de fantasia que vivemos e que passamos adiante. O mais importante a meu ver é a idéia de igualdade, sem dúvida.

Graças à sua contribuição para a literatura para a infância e adolescência, hoje - na data de seu nascimento - é comemorado o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil.

Hans Andersen escreveu de fadas e de lutadores, de magia e de vencedores. Escreveu de sonhos e realizações. Escreveu da magia que sempre vai povoar o nosso inconsciente, magia é o presente.

beijos e boa 4 feira,

Tina

17 comments:

  1. A princesa e a a ervilha é emblemático.De vez em qd eu cito essa história quando meus filhos ficam muito exigentes.

    ReplyDelete
  2. Sem duvida ele deixou uma contribuição inigualavel,TINA.
    Ainda mais se lembrarmos das "publicações" que saem atualmente.

    Beijos!

    ReplyDelete
  3. Belíssimo post, me fez voltar a infância com aquelas histórias coloridas - quem não leu ou ouviu seus contos e histórias perdeu uma corzinha da infância.
    Beijos moças com lua fugindo pelo céu em plena manhã

    ReplyDelete
  4. Muito legal saber quem escreveu esses contos que fizeram parte da vida de tanta gente e no mundo inteiro!
    Mais uma que aprendi!
    Beijoooooocas

    ReplyDelete
  5. Oi Tina! Quanto tempo mesmo! Meu pai está doente e eu venho na net de quando em quando, mas tenho visto seu netinho lindo e lido suas mensagens. Você nem imagina o quanto suas mensagens as vezes caem como uma luva para mim. Um beijo grande e obrigada pelo carinho de sempre.

    ReplyDelete
  6. Amei seu post amiga.
    Big Beijos

    ReplyDelete
  7. Nossa... esse post lembrou demais minha infância. Tínhamos que ler Christian na época, veja só.
    Mas valeu.

    ReplyDelete
  8. Que lindeza de homenagem, quem já não se deliciou com esses contos, quem já não contou mais um conto?
    Boas lembranças, gostei de saber mais, obrigada.
    Tinavózinha vai ter história pra contar né? ;)
    dias lindos querida
    beijos

    ReplyDelete
  9. Tina,


    Você foi a minha analista sem o querer.

    Regredi à minha infância. Sem a sua permissão, coloquei o seu blog pertinho do de uma grande amiga (Poemas e Amores); dá uma passada por lá, você gostará.

    Eu voltarei!!!

    SDS.

    ReplyDelete
  10. Meire6:53 AM

    me fez voltar a infancia...qdo fazia teatro na escola e me recordei de uma fabula na qual eu era a protagonista (mas nao sabia o que significava isso), se chama "a formiguinha e a neve" eu fiz a formiguinha.

    Bjs

    ReplyDelete
  11. Nao sabia que ele era dinamarques nao. Pensei que era Ingles. Acho essas histporias encatadoras e essas ilustrações antigas temuma magia que na supera, nenhum eletronico da vida. Fazem as crianças e os adultos sonharem. Isso é tudo de bom. E so voce mesma para lembrar de uma coisa dessas.
    Beijos,
    Cam

    ReplyDelete
  12. Hans se tornou eterno, suas palavras fazem parte da nossas vidas e assim será passado para os próximos...

    Lindo post, beijo dona moça

    :*

    ReplyDelete
  13. Adorei de paixão Tina! Me lembrei na hora da minha infância, dos livros que lia e tinha e hoje são do meu filhote! :)
    belo post!
    beijos meus

    ReplyDelete
  14. cada um com a sua luz, né?

    bjo, Tina!

    ReplyDelete
  15. Sonhei tanto com as histórias de Hans!
    Imaginava-me sempre como o herói ou a heroína, fosse pato, fosse gato.
    Maravilhas da infância.
    Obrigada por lembrar, querida Tina.

    beijos

    ReplyDelete
  16. Poxa que legal!
    Acho interessantíssimo saber sobre a vida desses caras que fizeram com que nossas infâncias ficassem marcadas com certas histórias.

    Tipo, quando criança pensava que essas histórias eram da vida, do mundo e que não tinham dono. Mas, depois a gente descobre.

    HEHEHEHE.

    Valeu pelo post. Adorei!

    Beijo!

    ReplyDelete
  17. Impossível alguém não conhecer pelo menos uma de suas maravilhosas historinhas não?!

    Adorei seu blog!
    parabéns!
    bom fds..

    bjooos

    ;D~~

    ReplyDelete

Obrigada pela sua visita!

 
luzdeluma st © Code is Pocket